top of page

Eu, meus dentes e postura

Este artigo é diferente. É sempre assim, eu explico o que aprendi, partilho o que eu vi, sempre distante ou como profissional de saúde. Entretanto, hoje eu decidi falar de mim, dos meus dentes e da minha postura.

Minha história com meus dentes e postura

Como todas as histórias, nós falamos de antigamente. Eu tinha 6 anos de idade quando a dentista nos disse que eu precisava de aparelho nos dentes. Na década de 80, em Portugal, pareceu estranho e inadequado, uma criança tão pequena, como eu, ter de ‘endireitar’ os dentes. Correu lindamente, até porque eu já tinha usado dispositivos para correção da posição dos joelhos, além de botas ortopédicas para o pé plano. Enfim, eu posso dizer que foi uma adaptação perfeita até porque nada doeu ou doía.

Cá eu estou hoje, dentes lindos, postura quase perfeita… no entanto, algumas dores articulares que necessitam de reforço muscular.

Entre o meu trabalho e ser mãe, alguns percalços acontecem: a postura de trabalho, as brincadeiras com as crianças e a falta de reforço ou apoio muscular, os desequilíbrios acontecem e com o passar do tempo passam a doer ou limitar os nossos movimentos. Sabem quando as crianças se atiram sobre nós e o ombro, a cabeça ou o que for acerta em pleno a nossa cabeça?

Já aconteceu de tudo conmigo e de tudo eu vejo na consulta: acidente de viação com choque frontal, ‘a cabeça de criança bateu na minha face’, ‘mastiguei durante uma época apenas de um dos lados’, trabalho inclinada para o lado esquerdo, uso o lado direito sempre para força e destreza. A preferência de lados de trabalho, os embates, os hábitos diários alteram o equilíbrio das forças musculares e os esforço dos ossos e dentes.

A decisão de resolver o problema

Sabem o que decidi?

Como devo ter algum cuidado nos períodos de maior fadiga em que sinto maior compressão dos músculos do pescoço e da face, construí para mim um aparelho ortopédico funcional que uso para dormir e durante o dia quando trabalho em casa. As pistas indiretas são ideais para promover a postura correta, além de relaxarem os músculos da face e pescoço. Com este aparelho que eu construí é possível reduzir o zumbido nos ouvidos, as dores do bruxismo/apertamento e porque também corrige a posição dos dentes. Assim, sabemos que os dentes terão a posição ideal para sustentar as forças e as funções intra-orais.

Todas estas situações e outras também levam ao esforço ou inflamação da articulação temporo-mandibular que terá repercussões a longo prazo, dolorosas ou incapacitantes.

Os dentes estão interligados ao resto do corpo

Quando observo um paciente, além dos dentes observo a boca, a face, a cabeça, o pescoço, o tronco, as pernas e os pés. Vejo as funções da face, a postura e avalio outros padrões. Diagnosticar precocemente é excelente e leva a um patamar superior, porém diagnosticar pacientes que já estão no limite da procura por uma ajuda eficaz é muito gratificante.

A ortopedia Funcional dos Maxilares é a melhor ajuda para pacientes com dor ou outros distúrbios temporo-mandibulares. São frequentes as queixas situarem-se no ouvido, cabeça ou pescoço.

Dando como exemplo esta paciente adulta com uma mordida cruzada lateral.

Tratamento de mordida cruzada

O plano de tratamento que eu indico passa por descruzar a mordida com aparelho removível ortopédico funcional bioplástico para remodelação da arcada superior (6 meses) e agora nós avançamos para a reeducação muscular e reabilitação Neuro-Oclusal com outro aparelho removível, desta vez bioelástico para que a oclusão do paciente seja estável e equilibrada. Durante os próximos 6 meses a paciente poderá ter autonomia e em breve o seu sorrriso será mais bonito, além da sua qualidade de vida já estar melhorada.

Os desequilíbrios esqueléticos que nos acometem, como palato ogival e mordida cruzada, são responsáveis por alterações respiratórias severas, enxaquecas, alterações do ouvido ou dentárias.

As mordidas cruzadas podem ser diagnosticadas e tratadas antes do seu agravamento.

A mordida cruzada inicia-se de uma forma funcional (apenas a arcada dentária inferior se desvia) e mais tarde evolui para uma alteração esquelética (a arcada inferior impede o desenvolvimento da arcada dentária superior).

As mordidas cruzadas laterais são comuns, acontecem maioritariamente até aos 3 anos de idade e estão relacionadas com a respiração oral, doenças respiratórias de repetição, disfunção mastigatória, aleitamento artificial e hábitos de sucção prolongados (chupeta, dedo, língua).

Tratamento de OFM para crianças

Pedro Planas, foi o Mestre Espanhol que promoveu o desenvolvimento da reabilitação Neuro-Oclusal e com ele aprendemos que tratar a criança até aos 5 anos é mais fácil, efectivo e económico. Hoje eu trato os meus pacientes com pistas directas ou indirectas de Planas e os resultados são maravilhosos. Cada caso é um caso e a decisão terapêutica passa pelo estudo exaustivo de cada paciente.

Eu submeti esta paciente de 2 anos de idade (30 meses) foi submetida a tratamento com pistas diretas de planas e um mês depois estava corrigida a mordida, 2 anos após o tratamento não tinha recidivado.

Como corrigimos a postura na Ortopedia Funcional dos Maxilares

Quando falo de postura vejo muita indignação ou admiração no rosto do paciente. Por isso acho importante explicar como corrigimos a postura na ortopedia funcional dos maxilares.

A cabeça é sustentada pelo pescoço. A postura da mandíbula (maxilar inferior) ‘comanda’ a posição da cabeça, além dos olhos. A rotação da cabeça no pescoço está influenciada pela respiração oral. O paciente abre a boca para respirar, a mandíbula desce, a língua toma uma posição mais baixa para deixar passar o ar. Se a língua está baixa os músculos das bochechas pressionam (pressão leve e ligeira mas contínua) os dentes e ossos para dentro, alterando o palato (céu da boca). A alteração do palato é crucial e leva ao desvio do septo nasal, as doenças respiratórias e à posição dos olhos.

Estudos indicam a relação entre o estrabismo e as mordidas cruzadas e as classes II dentárias e o astigmatismo, por exemplo.

Voltando à postura e à cabeça, para melhorar estas alterações temos de fazer o reforço muscular das cadeias ascendentes. Como tal, peço sempre que apoiem bem os pés durante as refeições, em todas as idades.

> Já repararam quantas crianças comem sem apoio nos pés? > Quantos adolescentes comem com as pernas cruzadas? > Quantos adultos comem com uma mão para baixo?

Caso de paciente com falta de espaço para os dentes caninos definitivos

Quero mostrar um caso cada vez mais comum e muitas vezes ignorado. Este paciente chegou à consulta por falta de espaço para os dentes caninos definitivos.

Depois de observado e estudado todo o caso, foi proposta a reabilitação Neuro-Oclusal com aparelho ortopédico funcional e os resultados foram os desejados por mim e inesperados para o paciente.

A postura e os distúrbios respiratórios não são comumente falados no dentista. Mas hoje o paciente refere melhor capacidade respiratória, maior resistência no desporto, boa capacidade mastigatória e acha maravilhoso a “língua caber no céu da boca”.

Por fim, eu agradeço a confiança de poder ajudar quem me procura e, claro, a toda a equipa de fisioterapia, ortopedia, pediatria, otorrinolaringologia, terapia da fala miofuncional, osteopatia, acupunctura e medicina geral e familiar, além de todos os outros profissionais e cuidadores que promovem a prevenção e a saúde dos seus sem tratamentos invasivos.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page