top of page

Rinite e Sinusite tem cura?

Rinite e sinusite, tantas vezes confundidas e relativamente diferentes são ambas doenças do sistema respiratório que acontecem em pacientes com respiração predominantemente oral, mas nem sempre assumida ou consciente.

Ambas tem sintomas semelhantes nas suas fases iniciais, mas, a rinite alérgica e a sinusite são duas doenças distintas.

A rinite alérgica é uma inflamação das membranas nasais, desencadeada pela exposição a fatores alergénios como o pólen, pelo de animais, ou até cheiros. Portanto, o sistema imunitário percebe o alergénio como um perigo e reage com espirros, congestão nasal, tosse, e restantes sintomas.

Já a sinusite é uma inflamação dos seios perinasais, à volta do nariz. Por vezes, os fluidos acumulam-se, assim originando condições que permitem o aparecimento de uma infeção.

Tens Rinite quando apresentas os seguintes sintomas:

  1. Congestão nasal.

  2. Comichão no rosto ou garganta.

  3. Espirros.

  4. Tosse.

  5. Inflamação nos olhos.

  6. Corrimento nasal.

  7. Perda de olfato.

  8. Fadiga.

Tens sinusite quando apresentas os seguintes sintomas:

Sinusite aguda (até 4 semanas)

  1. Dor e pressão no rosto.

  2. Corrimento nasal (normalmente espesso, esverdeado ou amarelado).

  3. Perda de olfato.

  4. Congestão nasal.

  5. Tosse.

  6. Dor de dentes.

  7. Febre.

  8. Fadiga.

  9. Mau hálito.

Sinusite crónica (12 semanas ou mais)

  1. Congestão no rosto.

  2. Corrimento nasal.

  3. Pus nas cavidades nasais.

  4. Drenagem retronasal (na garganta).

  5. Febre.

A rinite alérgica não tratada pode acabar por levar a uma sinusite.

Conhecer a nossa respiração e o nosso corpo é fundamental. Muitas vezes não reconhecemos situações por se tornarem tão frequentes. A ventilação oral é a mais difícil de reconhecer. Respiramos todos os dias a toda a hora. Mas será que respiramos bem? A prova de que necessitamos reeducar a nossa respiração é a frequência com que temos alergias respiratórias, rinite, sinusite, asma ou qualquer outra.

Portanto, quando conseguimos dominar, controlar e reeducar a respiração nasal, e que seja apenas nasal tanto na inspiração como na expiração permitimos a função imunológica correta.

O sistema imunitário reage sempre que se sente atacado é isso só acontece quando respiramos pela boca. Assim como tal respirar pelo nariz salva-nos de inúmeros dissabores.

De boca fechada protegemos os dentes e as mucosas (sou dentista) e provocamos a respiração nasal.

Na Respiração nasal o ar entra para os pulmões passando pelo sistema de filtragem mais complexo, perfeito e ideal. Por conseguinte, se estiver um dia seco e frio e respirarmos pelo nariz, quando o ar entra é humidificado, aquecido e filtrado. Não entram microorganismos para os pulmões pois ficam retidos nos cílios.

Então, desta forma o ar não irá desencadear processos inflamatórios ou alergenicos. Respirar pelo nariz liberta óxido nítrico, que é necessário para aumentar o dióxido de carbono (CO2) no sangue, o que, por sua vez, liberta mais oxigênio.

Quando respiramos pela boca, além da desidratação e da agressão do sistema também iremos perder dióxido de carbono, que leva consigo o oxigénio, não permitindo a boa oxigenação celular e acidificando o metabolismo do nosso corpo. Respirar pela boca faz com que as células não recebam oxigênio da mesma forma, contribuindo para fadiga e stress.

Ao reeducar a respiração pelo nariz iniciamos uma limpeza das cavidades e membranas nasais que permite a redução de doenças alérgicas até à libertação total. Assim, deixamos de ter sinusite ou rinite, enxaquecas ou cefaleias, recuperamos o olfacto e o paladar, reduzimos a roncopatia e recuperamos a qualidade de vida.

A recuperação de cada caso depende da sua gravidade e necessita sempre de acompanhamento médico especializado. Sabendo que num programa intensivo a recuperação demora cerca de 4 a 6 semanas.

A alegria de cada doente quando está livre dos sintomas e sinais alegra-nos e motiva-nos a continuar.

Se queres ajuda nós podemos ajudar-te.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page