top of page

Somos o que respiramos?

Tantas vezes ouvimos, somos o que comemos, mas nunca dizemos somos o que respiramos. Porquê?Porque a respiração saudável não está estudada e raramente é ensinada. A lição mais importante que aprendi nos últimos anos foi, sem dúvida: “nariz que respira não entope”. Nariz que respira não entope, só é possível com a boca [bem] fechada. Então não existiria a síndrome da respiração oral se a respiração fosse ensinada, treinada e continuada como sabemos fazer desde que nascemos.

Como respiramos da forma correcta

Sem dúvida importante, o nariz está no meio da nossa face. Respiramos bem se a boca estiver [bem] fechada. Os lábios devem tocar-se totalmente sem interposição dentária. A língua, as arcadas dentárias, os dentes, a cabeça e a coluna e as estruturas em redor terão de estar em equilíbrio. É assim que fisiologicamente acontece a respiração: pelo nariz, com as permutas de oxigénio e dióxido de carbono corretas, com a formação de óxido nítrico, nas quantidades corretas e com a qualidade desejada.

Quantas vezes vejo e revejo a técnica e estudo para ajustar e ajudar cada pessoa que procura a minha ajuda? Sempre a procurar mais e melhor para que possamos viver de forma mais saudável. É assim que melhoramos a qualidade de vida, nunca esquecendo que as cirurgias e os fármacos são muito importantes e imprescindíveis em muitos pacientes. Contudo, só a mudança dos padrões diários do paciente doente mudará completamente a qualidade de vida e consequentemente reduzirá (sempre) a quantidade de fármacos.

Porque não respiramos pelo nariz

Também já referi inúmeras vezes a diferença entre permeabilidade nasal e respiração nasal saudável. Se consegues respirar pelo nariz, se consegues fechar a boca, qual o motivo para não respirares bem? Penso que muitas vezes se deve ao hábito continuado de inspirar pela boca, pela ansiedade das rotinas e horários, pela hiperventilação, pelo desequilíbrio metabólico e tantas vezes pela hipotonicidade muscular. Além disso, acredito ainda que a união de diversos factores agrava o quadro e impede a resolução mais rápida do problema. Contudo, sabemos que a hiperventilação, a necessidade de respirar mais do que necessitamos, é a grande barreira à retomada da respiração nasal lenta e suave. Por isso mesmo quando iniciamos a normalização de respiração a pessoa automaticamente, e de forma inconsciente, abre a boca para tomar ‘fôlego’ e continuar os exercícios. Seja qual for a idade, é sempre possível melhorar como respiramos, embora haja desafios próprios de cada etapa. Ser simples, não é sinónimo de ser fácil.

Como a medicina auxilia na respiração saudável

Todas as áreas da medicina conseguem observar a doença, porém verificar a saúde é bem mais complexo. A medicação torna a vida bem melhor para o respirador oral, pois até criar hábitos e ser necessário aumentar a dose ou mesmo perder a resposta a fármacos. Quanto às cirurgias, são fundamentais em quadros severos, mas, em estágios em que as queixas do paciente não são visíveis, por vezes, não há formas eficazes de tratamento, nem fármacos nem cirurgia. Quando estamos perante um problema respiratório crónico a sintomatologia apenas se nota nos períodos de crise a medicina tradicional recorre a fármacos. Contudo, estudos indicam que a normalização de respiração é efectiva e permite a recuperação da qualidade de vida além de ter eficácia a longo prazo. Incrivelmente verdade, a respiração nasal lenta e suave muda a vida, pois melhora a saúde e controla física e psicologicamente o bem estar geral. Já tantos profissionais de saúde falam de respiração, sono, meditação, e compreendendo cada técnica podemos resumir à respiração nasal lenta e suave.

Respirar para oxigenar

A respiração que oxigena nosso sangue implica:

  1. Não expirar pela boca

  2. Boa filtragem do ar externo, pelo nariz

  3. Não inspirar pela boca

  4. Lenta e suave para o correto metabolismo dos pulmões (sangue)

  5. Impedir a entrada de bactérias e poluentes para os pulmões e garganta (se respira pela boca)

  6. Não desidratar o corpo nem a boca

  7. Não perder excesso de dióxido de carbono pela boca

A importância da respiração nasal

Quando o ar entra pelo nariz, ele é:

  1. Filtrado

  2. Humedecido

  3. Aquecido (climatizado)

  4. Menor volume

  5. Processado (produção de óxido nítrico)

Enquanto o ar que respiramos pela boca irá:

  1. Diretamente para os pulmões

  2. Poluído

  3. Seco

  4. Frio

  5. Maior volume (hiperventilação)

Como numa dieta alimentar menos é melhor e na normalização da respiração atingir ciclos respiratórios lentos e suaves, de forma automatizada, é o nosso objetivo. Quando respiramos bem apenas pelo nariz, vamos ter esse padrão de tal forma inconsciente que vamos conseguir dormir de boca fechada.

Curiosamente, sabemos que se dorme de boca fechada só respira pelo nariz durante o dia – e a maioria das pessoas que tentam a respiração nasal referem só conseguir adormecer de boca fechada. Respirar pelo nariz é fácil – é o comentário mais comum. Agora tentem fazê-lo quando falam, comem, dormem ou assistem a um filme.

A normalização de respiração deve ser personalizada, já que a maioria dos pacientes tem um conjunto de sinais e sintomas díspares, objectivos diferentes e idades e estágios também diferentes. Um asmático, uma mulher pós-parto, uma criança com hipertrofia de adenóides, um paciente com roncopatia, sinusite crónica, rinite alérgica, um adolescente com cefaleias têm necessidades diferentes e uma abordagem específica para o mesmo objetivo. O objectivo, embora diferente no perfil, é sempre melhorar a qualidade de vida:

  1. Dormir bem

  2. Respirar bem

  3. Descansar bem

  4. Viver melhor.

Desordens respiratórias e seus efeitos

Quantificar um problema respiratório não pode desculpar o padrão respiratório. Estudando as referências, estudos e compreendendo a respiração e como respiramos acredito que não será necessário muito mais tempo para que a comunidade médica compreenda as desordens respiratórias como complicações causadas por uma respiração alterada, com ventilação predominante oral. Ao alterar a respiração, uma cascata de acontecimentos gera doenças. A maioria das pessoas não pensa na sua respiração, e por isso, não compreendem que a forma como o ar entra no corpo é mandatário. Tudo muda, desde a função muscular, o desenvolvimento esquelético, o metabolismo (diabetes, hipertensão…), o sono, a ansiedade, a fadiga, a concentração, a alimentação, a voz, a discrepância de peso, e tantas outras.

Tudo começa no nariz, pois lavar o nariz é o princípio. Há secreções que não se sentem e que devem sair para iniciar a capacidade total do teu sistema respiratório. Vamos começar? Tu não estás preso a esse padrão respiratório, portanto, podes sempre melhorar! Parece simples mas não é fácil. Respira lenta e suavemente apenas pelo nariz.

Leia mais artigos em nosso blog do iRespirar e acompanhe-nos em nosso perfil no Instagram!

Até a próxima!

Dra. Rita Sousa Tavares Médica Dentista

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page